Total de visualizações de página

domingo, 13 de agosto de 2017

Dia dos pais - aos pais de autistas


O mais marcante ato de entrega de um pai talvez seja concretizado no momento da gestação de seu filho. Afinal, a mãe carrega somente para si, durante nove meses, aquele que virá a ser a pessoa com quem terá a mais rica conexão de todas, que conhece pelo cheiro, pelo olhar, pelo som da voz. O pai não tem alternativa senão a de confiar que a mulher irá se cuidar, se alimentar bem para nutrir a criança durante o processo gestacional, que não irá se estressar e nem colocar a vida de seu filho em risco. A mudança é gigante no corpo e na mente da mulher exatamente no momento em que desconfia estar grávida. Mas para o homem, muitas vezes essa informação só é processada quando se vê com um pacotinho nos braços, sem saber o que fazer para acalmá-lo. Então vem a primeira grande decepção. O pai apaixonado se apega ao bebê, tanto quanto a mãe, sangue do seu sangue, geralmente com boa parte de suas feições... Mas quando ele chora é natural que se acalme nos braços da mãe. Se alimenta do alimento da mãe, passa a ser a extensão do corpo da mãe... O homem que tinha uma esposa, que lhe cuidava e trazia segurança, de uma hora para outra passa a ser uma mulher atarefada, ocupada demais com o bebê para lhe dar atenção, e o pior, com uma pessoa bem pequenininha que disputa pelo espaço, tempo e dedicação desta mulher que passa a ser o troféu de quem vence pela maior insistência - pai ou filho. Mas o pai só ganha quando o filho está totalmente satisfeito em suas necessidades e manhas...

A casa não é mais a mesma, a mulher também não, o som ambiente, o ar condicionado, os alimentos, a programação de férias, tudo gira em torno da criança.
O homem que assume a liderança deste caos momentâneo e não se deixa abater pelas dificuldades é idolatrado pela família que o tem como ponto de equilíbrio entre a razão e a emoção. Não é fácil vencer essa barreira inicial e, em se tratando de filhos autistas, tudo fica um pouco mais difícil ou terrivelmente mais difícil...
Pai de menino sonha em jogar bola, consertar carros, assistir ao jogo de futebol, disputar sobremesas... Pai de menina sonha em proteger sua princesa dos ameaçadores meninos de três anos que dão em cima delas, claro papai vê coisa onde não tem! Sonha em lhe dar coleções de Barbies, vê-la tentar usar o salto alto da mãe e ser o maior grande amor de sua vida...E o baque é imenso quando se recebe o diagnóstico. O que fazer com tantos sonhos? Como brincar com uma criança que só gira objetos e não me olha nos olhos, não tenta disputar espaço e também não apronta suas traquinagens para ter aquela conversa séria de final de tarde... Como estar na roda de garotos quarentões que se gabam da esperteza de seus pequenos gênios?

Mãe já vem com o gene da resiliência, da fé, da entrega... Mãe defende que nem fera e é capaz de sorrir por dezoito horas porque seu filho de sete anos aprendeu a puxar a descarga... Mas o pai, este precisa de mais cuidado, seus sentimentos são tão à flor da pele que precisam muitas vezes ignorar o autismo por um bom tempo para não se entregar e desistir de tudo...
Mas o pai que consegue vencer suas próprias barreiras, manifesta-e como um verdadeiro herói, se alegra com pequenas coisas, carrega malas e mais malas com roupas extras, medicamentos e despertadores para não esquecer de nada. Ele deixa para o filho a melhor parte do bolo, a melhor hora da televisão, o lado mais doce de sua mulher... E ainda assim consegue manter o sustento da casa, o bom humor e a coragem. Aprende a ter fé, a orar, a rir sem motivo. Aceita ser chamado de maluco, enfrenta o frio de manhã cedo para trabalhar e se alegra em ver mulher e filho desfrutando da cama quentinha que pode lhes proporcionar... No fim do dia deixa seus problemas do lado de fora e se interessa pelo desenvolvimento do filho, passa a ser perito em assistir vídeos que ele não suporta só para agradar ao filho e ouve atento a esposa contar sobre o que enfrentou durante o dia na luta pelo espaço no mundo.

Homens que abriram mão de muitos sonhos, que desinflaram seus egos, que não esconderam suas lágrimas. Que venceram uma barreira imensamente maior que a da mãe em aceitar o diagnóstico e se orgulhar do filho. Esses homens são pais especiais, maridos especiais e homens sensacionais. 
Existem dias bons, dias ruins, dias excelentes e dias péssimos também. São ciclos que se abrem e se fecham como uma coreografia da vida em que sempre temos que improvisar em cima do tempo. Mas existem os dias especiais, aqueles em que nos sentimos tão bem que guardamos para sempre a lembrança viva de cada segundo experimentado. Que este dia dos pais seja um dia inesquecível e que seu maior presente seja o amor de sua família. Não importa de que jeito ela é. Família é aquela que Deus te permitiu escolher e você é o grande responsável da nobre tarefa de ser atendido pelo nome de PAI. 

Lindo dia dos pais a todos os pais, mães que cumprem o papel de pai e ao Pai de todos os pais - Deus. 
Beijo muito carinhoso. Fiquem com Deus.
KenyaDiehl
Escritora, empresária e blogueira
kenyadiehl@gmail.com
Facebook/kenyatldiehl

2 comentários: