Total de visualizações de página

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

O dia das crianças em uma perspectiva autista


Dia das crianças é uma das datas mais delicadas do ano para os pais de crianças autistas. Me restrinjo aqui a falar sobre o autismo porque se trata de um funcionamento totalmente diferente do que se está acostumado quando o assunto é criança.


Geralmente existe uma expectativa grande por parte dos adultos para que os pequenos gostem dos brinquedos, dos passeios, das surpresas... Festas de empresas, de escolas, da comunidade. Situações que mexem com o coração do autista, porque via de regra, os gostos são bem peculiares.

Crianças autistas demoram mais a se interessar por bicicletas, tendem a gostar de tecnologia e definitivamente não se sentem confortáveis com surpresas. Tudo o que querem é a sua segurança garantida, as coisas devem ser previstas com antecedência, pois quando algo sai diferente do esperado é bem comum um ataque de ansiedade.

A simplicidade é a palavra-chave. Diversas vezes meu filho Guilherme preferiu a caixa do brinquedo do que o próprio conteúdo da embalagem. Já aconteceu também de ganhar um brinquedo e ir brincar com pedrinhas ou potes plásticos. Em outras épocas ganhava o brinquedo, mas achava uma função totalmente diferente da proposta e acabava inventando sua forma de interagir com a novidade, como colocar olhos e orelhas do “Mr. Potato” nos dedos dos pés e girar a batata no chão... Também passamos da fase em que ele queria desesperadamente algo, mas ao ganhar, brincava por cinco minutos e logo voltava para o habitual, como brincar com abajures, ventiladores e pequenas peças de veículos...

Sei que o início é angustiante, os pais querem a todo custo que seu filho autista interaja como as outras crianças, acreditam que se conviverem com pares da mesma idade irão acabar copiando sua forma “apropriada” de brincar. Obviamente a convivência é importante, mas o seu filho precisa ter a certeza de que você o ama assim como ele é. Deixe que as peças se encaixem com o tempo e que seu filho desenvolva a melhor forma de se sentir bem sem prejudicar a convivência com os demais.

Ser pais de filhos autistas envolve muito mais do que a compreensão de mundo do qual eles fazem parte. É trabalhar o orgulho, o ego, é desenvolver a humildade, a compaixão e a serenidade em efetivamente não se preocupar com o que os outros pensam. É colocar a felicidade de seus filhos acima de qualquer convenção social, regra ou costume.

Agora direcione sua mente para dentro da cabeça de seu filho, veja o mundo na altura dos olhos dele, veja como ele te vê, imagine-se incapaz de gostar do que seus pais querem que você goste, imagine-se distante e sem condições de entender as demais crianças, imagine-se apaixonado por ventiladores e ter que forjar o gosto por jogos ou brinquedos que não fazem sentido para você. Mais do que isso, imagine-se com medo, incomodado com o barulho, com o calor, com as perguntas que você não consegue ou não quer entender e, pior, imagine-se com o desejo gigante de dizer o que pensa, mas ainda não tem o desenvolvimento verbal suficiente para se expressar como precisa.

A vida de crianças autistas é mais angustiante do que parece. Desde cedo há a frequência nas terapias, o desajuste na escola, a cobrança de familiares, as intermináveis conversas que eles escutam sem poder ou conseguir dar palpite, mas que escutam e processam cada detalhe do que estão ouvindo. A pressão é grande, a solidão é maior ainda e a infância prolongada por um lado em contraste com o amadurecimento rápido demais tornam tudo ainda mais difícil.


Se ser pais de autistas é por vezes difícil, acredite, ser autista é um tanto quanto complicado. Não existe fórmula perfeita para interagir com o autista, existe respeitar o seu jeito de ser, não criar expectativas em cima deles, gostar do que eles gostam e lhes ensinar a dosar suas manias para que estas não se tornem vícios ao longo do tempo.

Evite a qualquer custo pedir para que sua criança responda para quem lhe perguntou algo de que ele não entende, ao contrário, mostre para a pessoa a melhor forma de se comunicar com seu filho.

Claro que não devemos optar por se restringir aos desejos peculiares de nossos filhos, uma de nossas missões é justamente lhes mostrar as infinitas possibilidades sobre brincadeiras e formas de se viver, mas vamos combinar, dia das crianças é um dia especial. Não lhe dê coisas que você sabe que não lhe serão uteis no momento e nem fique chateado se ele não der atenção ao que você preparou com tanto carinho.

É de suma importância que nossos filhos não se sintam responsáveis pela nossa felicidade. Para tanto, não lhe coloque sob pressão, apenas viva o momento, se tiver que brigar com o mundo por conta disso, então o faça! Mas não estrague o seu dia com sonhos que são seus e não de seus filhos.

Não existe limites para o progresso, cada qual dentro de suas capacidades, mas todos os dias, invariavelmente, podemos ter ganhos, ainda que imperceptíveis aos olhos dos demais, mas só o fato de manter a felicidade e o sorriso no rosto de nossos filhos já é uma boa parte do trajeto percorrido com louvor.

A infância deve ser doce e suave, época de muitas transformações e, crianças especiais, encantam ainda mais pela pureza de seus corações. São muito mais do que o olhar puro e verdadeiro, mais do que lindos sorrisos, mais do que alegria sem fim. Crianças especiais são guerreiras, desde cedo lutando contra o preconceito, problemas de saúde e noites não dormidas. Mas hoje, ah hoje! Não é dia de falar sobre isso, é mais do que um dia para as crianças, mas sim para pais, mães, avós... Para lembrarem de como seria sem graça imaginar o mundo sem nossas joias, que nos ensinam diariamente sobre a vida poder ser envolvente. Se soubermos olhar para o alto como eles olham, rir do que eles riem, desejar o que eles desejam... Então veremos um mundo mais colorido, como uma verdadeira aquarela e pintaremos nas telas de nossas vidas nossos mais lindos sonhos e também aprenderemos a decorar nossa alma... Porque ser criança vai além da infância. Ser criança é também ter lembranças de dias inesquecíveis que nos foram criadas com tanto amor.

Que possamos ser adultos responsáveis e que possamos semear as mais lindas flores, para que amanhã nossas crianças também tenham as mais lindas lembranças sobre os sonhos que os ensinamos a sonhar.

Feliz dia das crianças. Beijo muito carinhoso.

Fiquem com Deus.

Kenya Diehl

Escritora, empresária, blogueira


Facebook – Kenya Diehl


5 comentários:

  1. Cono tudo que vc escreve, simplesmente perfeito 😍😍😍 que Deus abençoe cada dia mais está cabecinha fantástica que vc Tem, vc é um ser iluminado, obrigada por tudo que faz por nossos anjos 😘

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Romi que amor. Obrigada pelo carinho. Eu que mais ganho em carinho e amor.
      Beijos e Deus te abençoe

      Excluir
  2. Em agosto desse ano, depois de muitos exames e consultas, meu filho foi diagnosticado com aspenger (especto autista). Já fazíamos fono ( ele tem quase 3 anos e ainda não fala), então começamos as terapias. Já fizemos alguns progressos, mas a parte mais dificil ainda é lidar com a frustração ( minha e dele)
    Na semana do dia das crianças, a escolinha dele organizou um desfile de fantasias.
    Alugamos uma fantasia sem máscara e sem chapéu ( ele não gosta), porém com uma capa. Ele gostou da fantasia a principio. Vestiu. Andou com ela pela casa. Mas no dia de vestir para ir para a escola...foi vestir a fantasia para ele começar a chorar. Demorei uns dez minutos para conseguir tirar a fantasia, de tanto que ele chorava e se debatiam. Passei uma hora com ele no colo, chorando sentido. Depois de acalma-lo fui trabalhar. Passei o dia todo frustada. Eu queria tanto que ele tivesse participado da festinha da escola.
    Para mim ainda tem sido um pouco dificil, ainda há muito o que aprender e descobrir. Mas uma coisa é certa: sou imensamente grata pelo meu filho. Ele é o maior presente que eu já recebi nessa vida.
    Obrigada pelo blog. Ele é de muita ajuda. Parabéns pelo excelente trabalho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nathalia. Obrigada por escrever e me desculpe pela demora em responder.
      Essa questão do autismo ainda é muito recente para você. Com o tempo conseguirá ver que o autismo justamente mostra para as pessoas que não é como a gente quer, mas como tem que ser. Provavelmente ele estava tentando te dizer que não queria se apresentar, por isso a crise.
      Mas tenha fé e paciência, sei que vc tem. Com o tempo tanto você quanto ele irão ceder um pouco cada um e terão um equilíbrio.
      Beijos e fique com Deus ❤️

      Excluir
  3. Meu filho tm 12 anos foi diagnosticado com asperger em outubro d 2017, sendo tratado desd 2014 como depressivo.. Enfim é uma luta diária, perdeu o ano passado rodou pq estava sendo menosprezado por uma professora e colegas... Enfim alimentação restrita, irritabilidade e sm contar q estou novamnte tentando adapta lo em outra escola, mas não está facil vai um dia depois quer faltar... Adorei teu trabalho, p mãe d autista é de muita importancia.. Parabns!

    ResponderExcluir