Total de visualizações de página

segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

A luta pela independência - relato de um pai

O que nos move? De onde tiranos força e coragem? 
O amor de nossos filhos e nossa entrega por eles nos levam a um caminho de luta por um mundo melhor, com mais aceitação e adaptação, mas queremos sempre mais e é isso que não nos deixa desistir.
Sonhamos que nossos filhos atinjam o máximo de independência que eles puderem dentro de suas próprias limitações, por menor que seja essa independência, desejamos incessantemente que ela aconteça, ainda que isso represente o "pequeno gesto" de dizer de algum jeito o que gostaria de comer. Digo pequeno gesto entre aspas porque pais de autistas sabem a grandiosidade do 
momento em que passamos a compreender os desejos de nossos filhos para que possamos, então, ajudá-los a seguir suas vidas com o máximo de satisfação possível.
Abaixo, o relato emocionante de um pai que conseguiu além do que imaginava e já teve resultados que irão te motivar a também ser forte e nunca desistir.
Fernando Benedetti
RELATO DE UM PAI AZUL 
"Eu tinha certa certeza de que meu filho era autista. Percorri diversos médicos em nossa região e cada médico dava um diagnostico diferente! Alguns nunca tinham escutado falar em autismo, enquanto outros davam remédios sem saber o motivo exato. Um dos médicos até sugeriu que ele fosse surdo e que deveria colocar prótese no ouvido... Enfim, depois de perambular por meses, chegamos ao diagnostico fechado de autismo leve. Veio a comprovação do que eu suspeitava, lembro-me de uma Neurologista (Porto Alegre) que disse: "Seu filho é autista, tudo o que ele precisa é para ontem..." 
Aos 4 anos começamos as 3 fases de nossas vidas: 
ACEITAÇÃO 
ADAPTAÇÃO E 
ORGANIZAÇÃO, a MESINHA foi feita(comecei aos 4 anos fazemos até hoje) e consiste em faze-lo sentar e acalmar-se fazendo trabalho de motricidade fina, óculo-manual, espaço-tempo dentre outras. Inicialmente com 2 minutos (primeiro ficava 30 segundos sentado e fazia somente metade de uma tarefa), o tempo passou e foi aumentando os minutos. Hoje ele faz 1 hora de MESINHA e quer mais! Meu filho está desde o jardim numa escola particular e com monitora, hoje ele esta no 6º ano.  A aprendizagem se dá em casa e na escola, mais a medicação com DEPAKENE e RISPERIDONA. Começamos com o Método TEACH, e com fonoaudiologia, fisioterapeuta, psicopedagogia e psicomotricista.
Minha vida deste então mudou, as saídas são raras, os momentos de lazer são praças,cinema,teatro tudo com ele, durmo sempre antes das 23hs e o resultado apareceu! Meu filho tem 11 anos,  lê, escreve, interage com os colegas, faz Ginástica Olímpica desde os 5 anos, natação, tornou-se menos dependente, é agora um ser independente e em construção, sei que ele será logo logo um adulto independente."
.                     Fernando Benedetti




Acredite, vá atrás, sonhe e realize! Juntos somos mais fortes.
Beijo muito carinhoso. Fiquem com Deus 
KenyaDiehl Autista asperger, mãe de autista,

Escritora, blogueira e empresária 
kenyadiehl@gmail.com

2 comentários:

  1. Esses relatos nos enche de eaperanças e nos motiva pela luta incessante!
    Obrigada ao papai Fernando pelo seu relato e obrigada Kenya ,por cada dia semear a esperança em cada um de nós!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada meu amor. Deus te abençoe. Sempre juntas. Beijo no coração

      Excluir